O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Análise: Apple Watch Series 3 com conexão 4G, à frente da competição

Quando a “liberdade chama”, será que é possível aproveitar o Apple Watch com conexão 4G para atender ligações, responder mensagens e deixar o iPhone na gaveta?

O Apple Watch Series 3 com conexão 4G chegou ao Brasil na metade de junho, 10 meses após o seu anúncio original nos Estados Unidos. O motivo foi a falta de estrutura das operadoras em suportar a tecnologia do eSim, o chip virtual, que a Claro acabou como pioneira no mercado brasileiro. Uma vez que a barreira tecnológica foi quebrada, a Apple anunciou a chegada da linha completa do seu relógio inteligente por aqui, agora com modelos em aço inoxidável e cerâmica, assim como a edição de luxo da Hermès. Por um mês, o Nova Post vem testando o Apple Watch Series 3 com Conexão Cellular de alumínio cedido pela Apple Brasil e você confere as impressões do produto agora.

Um toque em vermelho

Esteticamente, nada mudou desde que o primeiro Apple Watch foi lançado, porém, ao trazer uma nova tecnologia, a empresa de Cupertino colocou um diferencial a ser notado entre o Watch com conexão 4G e os demais modelos apenas com GPS, que é a Coroa Digital vermelha. A princípio, essa é a única maneira de notar qual é a versão de Apple Watch que está no pulso de alguém.

O relógio inteligente segue com versões em 38 mm e 42 mm, três tipos de materiais (alumínio, aço inoxidável e cerâmica) e dezenas de pulseiras, que são o verdadeiro trunfo estético do Apple Watch, permitindo que o consumidor personalize de uma maneira quase única o seu wearable. Para saber mais diferenças sobre o Watch Series 3 com GPS e GPS + Cellular e qual o modelo ideal para você, clique aqui.

Durante os testes, usei apenas a pulseira de silicone cinza, que veio junto com o relógio, porém é possível escolher diversos outros modelos vendidos separadamente, a partir de R$ 299, e que podem servir para necessidades diferentes, como praticar esportes, sair à noite, ir a um encontro, etc. Essa de silicone é um coringa para todas as ocasiões, mas tudo depende do bolso e das necessidades do consumidor.

Processamento de ponta

O Apple Watch Series 3 é o smartwatch mais rápido do momento. Graças ao processador dual-core S3, ele é 70% mais veloz do que a geração passada e junto do chip W2, ele traz mais estabilidade na conexão bluetooth e Wi-Fi. Essa eficiência é traduzida no dia a dia com comandos sendo realizados mais rápidos, aplicativos carregando praticamente no mesmo instante e uma Siri que responde com voz de volta para o usuário.

Como o Watch é feito para pequenas interações, ele precisa atualizar com velocidade o aplicativo do Tempo, mostrar facilmente as notificações, conseguir chamar um Uber ou começar um exercício o quanto antes.

Quando a liberdade chama, você atende

É a partir daqui que a análise do relógio se distancia entre o modelo GPS e GPS + 4G, justamente pela conexão móvel. Um mês após o lançamento do novo Apple Watch no Brasil, a Claro continua sendo a única operadora com suporte ao eSim. Para saber o que é o chip eletrônico e como ativar o Claro Sync, é só clicar aqui.

O grande diferencial do modelo com conexão Cellular é que o usuário não precisa estar com o iPhone por perto para fazer ligações, mandar mensagens, fazer um pedido à Siri ou ouvir músicas pelo Apple Music. Na prática, tudo o que a pessoa precisa é de uma rede móvel estável. Em grandes centros, como São Paulo, a falta de sinal não é um problema.

Agora, em outras cidades, como Joinville, em Santa Catarina, eu não recomendaria o usuário comprar o modelo com conexão 4G, porque a rede móvel do local é longe de ser a melhor para esta operadora. Portanto, a função mais importante deste relógio para de fazer sentido. Ou seja, o primeiro passo é saber como a operadora atende na sua região para depois escolher o relógio.

E quando você atende, use os AirPods, por favor

O Apple Watch Series 3 é melhor aproveitado com os AirPods, os fones sem fio da Apple. Com ele, é possível ouvir de maneira prática as milhões de músicas disponíveis no Apple Music, além de ser mais simples fazer pedidos a Siri. Para saber todos os detalhes dos AirPods, confira a análise completa do aparelho.

Com o Watch Series 3 com 4G, a Apple criou um ecossistema muito interessante para o consumidor: a pessoa pode ir correr no parque apenas com o Apple Watch e os AirPods. Ela consegue ouvir músicas pelo Apple Music, receber notificações no pulso, praticar exercícios, completar os círculos de movimento e ainda parar em uma barraquinha para tomar uma água de coco, pagando com o Apple Pay pelo relógio.

Nos meus testes, as ligações foram bem satisfatórias, mas não é recomendado atender o relógio em locais barulhentos, já que os alto-falantes do aparelho não são potentes. Em uma sala silenciosa, no entanto, é possível atender a ligação como um Power Ranger sem problemas – e por isso recomendo também os AirPods.

Graças a função 4G, a Apple trouxe um novo mostrador chamado Explorador (saiba mais sobre ele aqui) e uma Complicação de atalho para o Telefone, onde você pode digitar do relógio o número que você quer ligar.

Notificações na rede móvel

Durante os meus testes, tive um único problema que foi perder notificações importantes ao usar o 4G no relógio. Explico: notificações padrões do sistema, como “Respirar”, “Hora de Ficar em Pé” e “iMessage”, eu recebia sem problemas. Agora, ao voltar para a minha mesa após a janta, percebia que várias notificações do WhatsApp e do Twitter, por exemplo, não haviam aparecido para mim.

Apesar do Apple Watch espelhar as notificações do iPhone no relógio, era comum eu perder avisos importantes. Do Twitter foi fácil, eu baixei o app nativo no Watch, mas o WhatsApp não apresenta esse suporte, ou seja, o mensageiro mais usado no Brasil frustrou um bom tanto a minha experiência com o relógio. Isso porque eu só conseguia mandar mensagens pelo app quando eu recebia a notificação no Watch, já que não há a possibilidade de usar o “E aí, Siri, mande uma mensagem no WhatsApp para a Ana” direto dele.

Portanto, apesar de saber que estava apenas a uma ligação de qualquer urgência, eu também sabia que estava em 2018 e as pessoas me contatariam, na maioria, pelo WhatsApp primeiro. Isso poderia ser resolvido com suporte do app ao watchOS.

Software: o que está por vir

O watchOS, por ser recente, é bem diferente do iOS ou do macOS, mas a sua curva de aprendizado é simples, até porque são poucas as interações necessárias. Basicamente, o usuário precisa escolher a melhor Watch Face com as Complicações necessárias e é isso. Os apps principais são aqueles oferecidos pela Apple, como “Exercícios”, “Batimentos” e “Apple Music”, mas é possível ter boas adições como “Pokémon GO” e “Carrot Weather”.

No caso do modelo com 4G, o relógio tem disponível 16GB de armazenamento contra 8GB na versão GPS, mas a quantidade extra não é bem necessária, já que não há tantos apps realmente necessários para serem instalados. Até é possível brincar com alguns aplicativos pelo relógio, mas a pergunta é: por que alguém faria isso? Não julgo.

Em breve, o watchOS será atualizado para a versão 5. Nela, será possível se comunicar com os amigos por um walkie-talkie e será mais fácil ver como familiares e amigos estão cumprindo as metas diárias. Para saber todas as novidades que chegarão ao relógio, clique aqui.

Bateria: 8 ou 80

O Apple Watch tem uma bateria estimada de até 18 horas pela Apple, mas é preciso ficar atento: ao usar o relógio para fazer ligações sem o iPhone por perto, a bateria dura no máximo 4 horas.

De uma maneira geral, eu chego ao fim de um dia com 60% de bateria, usando o relógio para receber notificações, ligações curtas e usar os sensores de atividade por meia hora para andar de bicicleta. Consigo chegar a dois dias sem carregar o relógio, mas se você quiser ter sempre segurança no dia seguinte, é melhor colocá-lo pra carregar.

Agora, se fico no telefone por uns 30 minutos, é possível ver a bateria caindo quase 30% de uma vez só, o que seria desesperador se eu não mantivesse o iPhone por perto. Em comparação, o Apple Watch Series 3 com GPS chegava a durar comigo até 3 dias longe da tomada, gastando uns 30% por dia. Ou seja, a rede móvel, de fato, acaba consumindo mais bateria e é entendível cair para “até dois dias”. Mesmo assim, é mais do que satisfatório saber que é possível passar o dia inteiro com ele – e até dormir se quiser.

Vale a pena?

O Apple Watch Series 3 GPS + Cellular é de fato o melhor wearable do momento. A função 4G funciona quando há cobertura e o problema das notificações pode ser sanado com atualizações futuras da Apple dos próprios aplicativos. Ele está cheio de pontos positivos: as pulseiras, a bateria e também a resistência à água, que permite que você faça natação com ele sem problemas. Em breve, o relógio reconhecerá os exercícios mesmo que você não abra o aplicativo, o que será bem interessante.

O Watch, na versão 3, chega a um patamar que o usuário pode comprar sem receios e com o tempo ele só deve melhorar, já que novas adições ao Apple Pay, novas operadoras, suporte a novos aplicativos e exercícios deixarão a experiência com o relógio mais completa.

O Watch está disponível a partir de R$ 3.199 na Apple Store brasileira na versão com 4G, mas é possível encontrar maneiras mais em conta para adquirir um, ao atrelá-lo a um plano da Claro, por exemplo.

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, é editor de internet do Jornal da Globo e escreve sobre tecnologia e games.