O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Após compra pela Apple, Shazam não tem mais versão paga e nem anúncios no aplicativo

Shazam já foi baixado um bilhão de vezes e identifica 20 milhões de músicas por mês; o que muda com a aquisição da Apple?

A Apple anunciou que, em breve, removerá todos os anúncios do Shazam e que ele não terá mais uma opção paga. O comunicado vem após a empresa de Cupertino finalizar a aquisição do aplicativo por US$ 400 milhões.

Foi em dezembro de 2017 que a companhia confirmou que estava comprando o Shazam, mas apenas neste 24 de setembro que obteve o aval da União Europeia.

O app que ajuda na busca de músicas está disponível na App Store desde os primórdios dos aplicativos mobile e não é à toda que conta com mais de um bilhão de downloads e 20 milhões de músicas pesquisadas por mês.

De acordo com Oliver Schusser, vice-presidente do Apple Music, “nós estamos animados para juntar as equipes e dar aos usuários novas maneiras de descobrir, experimentar e curtir música”.

Além desse anúncio, a Apple não revela qual será o futuro do aplicativo e se ele apenas será integrado ao Music ou se continuará existindo por conta própria. Por enquanto, ao realizar uma busca no app, ele ainda dá opções para o Apple Music e o Spotify, maior competidor da Maçã no streaming de música.

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, é editor de internet do Jornal da Globo e escreve sobre tecnologia e games.