O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Escolha segura: iPhone XR, MacBook Air e iPad Air

Ainda é possível escolher os melhores produtos sem comprar as opções mais caras na Apple. Conheça as vantagens do iPhone XR, MacBook Air e iPad Air.

É difícil, mas as vezes chega a hora de trocar as tecnologias da casa. Não todas de uma vez, mas você acaba percebendo que aquele iPhone 6 já não funciona como antigamente. O mesmo vale para o iPad 2 que era tão bom para mexer nas redes sociais, ver Netflix e hoje ficou para o filho ou o sobrinho menor ver Galinha Pintadinha. Por fim, aquele MacBook que te acompanhou pelos últimos 10 anos está pedindo “por favor, me deixa descansar”. É, talvez esteja na hora de dar uma olhada no que há de novo no ecossistema da Apple.

Aqui, a intenção não é discutir o porquê escolher o ecossistema da Apple, apesar de existir vários motivos para isso, e sim mostrar que você não precisa dos modelos Pro nem do iPhone XS para ter a melhor experiência tecnológica. Inclusive, ao fazer o upgrade dos seus produtos, de maneira geral, você vai sentir o avanço dos últimos anos nos produtos da Maçã.

Quase sem bordas: iPhone XR

Não se assuste. Esses iPhones coloridos que você vê por aí não são novos iPhones 5c. Eles são, na verdade, iPhones de última geração – mesmo. O iPhone XR está disponível em Vermelho, Coral, Azul, Amarelo, Preto e Branco. Ele conta também com o processador mais poderoso da Apple para celulares até o momento, o chip A12 Bionic. Pode jogar sem medo Fortnite, Pokémon GO ou ir de um aplicativo para vários outros de uma vez. De verdade, não tem atividade pesada demais para esse celular.

O iPhone XR também conta com as opções de armazenamento mais sensatas: 64GB, 128GB e 256GB. O modelo de entrada, claro, não tem exatamente a capacidade que você quer, mas pelo menos você pode escolher a versão com 128GB, já que nos outros iPhones você vai de 64GB para 256GB. Pois é.

O XR também traz a maior bateria em um iPhone: te dá 1h30 a mais de autonomia do que o iPhone 8 Plus, o campeão do ano passado. Ele também conta com suporte a carregamento rápido e wireless.

No iPhone XR você tem uma tela grandona de 6,1 polegadas que fica entre o iPhone normal e o modelo Plus, tem o novo visual do iPhone X e ainda aproveita a segurança e praticidade do Face ID, o leitor facial que serve para desbloquear o celular, guardar suas senhas e até o login do banco.

Apesar de ter uma única câmera principal, as fotos absorvem 30% mais luz do que na geração passada. E pela primeira vez você pode fazer Retrato de pessoas com uma única câmera. Já na frente, você tem a Câmera TrueDepth do Face ID para fazer Retratos. Você também pode fazer cliques com HDR Inteligente e ajustar o desfoque do fundo das fotos.

O preço sugerido do iPhone XR é a partir de R$ 5.199 no Brasil ou US$ 749 nos Estados Unidos. No varejo, no entanto, você encontra o iPhone abaixo dos R$ 4.000 e lá fora você consegue a partir de US$ 150 de desconto em um iPhone 6 em bom estado. Caro, mas bem mais em conta do que um iPhone que começa a partir dos US$ 999. Aqui, você lê a análise completa do iPhone XR e aproveita para ver alguns cliques com ele e aqui você pode ver as diferenças entre o XR, XS e o XS Max.

Leve e potente: iPad Air

Outra linha que pode te dar uma nó na cabeça é a de iPads, principalmente se você não atualiza o seu tablet há uns bons cinco anos. São três linhas e cinco tamanhos diferentes. Mas tudo faz bastante sentido, de verdade. Inclusive, te explico aqui para quem é indicado cada modelo.

Falando do iPad Air especificamente, ele funciona muito bem para quem quer dar o primeiro passo para se livrar de um notebook ou até mesmo de um computador de mesa, mas não quer gastar toda aquela grana no iPad Pro.

Com o mesmo processador do iPhone XR e uma bela tela Retina de 10,5 polegadas, ele é ideal para te acompanhar tanto no trabalho, quanto na faculdade ou no lazer.

Você pode fazer uso de acessórios próprios da Apple, como o Smart Keyboard ou o Apple Pencil, para digitar, desenhar ou tomar notas. Eles são essenciais para aproveitar ao máximo o tablet, mas mesmo que você não os escolha, o iPad Air continua sendo uma opção potente para redes sociais, jogos, assistir conteúdos e até fazer edições de vídeo e foto.

As 10,5 polegadas são satisfatórias para usar o Split View (quando você coloca dois aplicativos para rodar na tela ao mesmo tempo) e você ainda conta com o Touch ID, o leitor de impressão digital presente nos iPhones até o modelo 8.

Esse iPad tem boas câmeras: a principal é de 8MP e a frontal de 7MP. Não são ideais para você sair por aí fazendo fotos, mas não vão te causar nenhum problema no FaceTime ou para escanear um documento.

As opções de armazenamento, no entanto, são 8 ou 80. Você pode optar pelo modelo de 64GB ou 256GB e com conectividade só Wi-Fi ou Wi-Fi + Cellular.

Agora, o que chama a atenção nele é o preço: US$ 499 nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, porém, ele começa a partir de R$ 4.499. Mesmo assim, ele é mais de R$ 2.000 mais barato do que modelo o básico do iPad Pro.

Os acessórios também não são dos mais acessíveis, o Smart Keyboard custa R$ 1.049 ou US$ 159, enquanto o Apple Pencil sai por R$ 749 ou US$ 99, mas juntando tudo, pode ser uma opção bem mais viável do que comprar um computador potente.

No meio: MacBook Air

Ter um notebook em 2019, no meu entendimento, perdeu o sentido, porque você tem o seu celular e pode optar por uma tela maior com um tablet, por exemplo. No entanto, a Apple quer te convencer de que o Mac não é um computador qualquer e que, claro, ele faz sentido.

Se você é do mais tradicionais e quer ter a sensações de ver o computador ligando, ter uma tela de trabalho padrão e usar um mouse/trackpad, tá tudo bem. E se ainda por cima você não quer um pedaço de hardware rodando Windows, não tem jeito, sua opção é um MacBook, um MacBook Air ou um MacBook Pro.

Assim como eu, você deve pensar: “uma porta só no MacBook é pouco, né? E o processador dele não é muito potente, é difícil gastar todo esse dinheiro em algo que pode não durar tantos anos quanto eu espero”. Por outro lado, talvez você não esteja preparado para gastar mais de R$ 15 mil num MacBook Pro com Touch Bar. “Será que eu preciso de tudo isso?”

Depende. Primeiro porque a maioria das pessoas não precisa de um computador, mas se você precisa, olha só o MacBook Air. Ele tem uma tela Retina de 13,3 polegadas, pesa 1,24 kg, tem duas portas USB-C e o mais bacana: o leitor de impressão digital Touch ID para desbloquear o Mac ou fazer pagamentos com o Apple Pay.

O MacBook Air também vem com o processador de oitava geração da Intel, o i5, no modelo de entrada, e pode ter até 16GB de RAM e 1,5TB de armazenamento interno em SSD.

O Air, como eu disse, é um meio-termo entre o MacBook e o Pro, mas ele se aproxima mais do top de linha em relação ao processador. Se você precisa editar fotos e vídeos profissionalmente e diariamente, talvez esse não seja o seu Mac, mas se você faz isso esporadicamente, quer aproveitar a praticidade dele e espera que o MacBook Air dure por anos a fio para trabalhos da faculdade, apresentações de PowerPoint e edições básicas, vá fundo.

Com 128GB de armazenamento interno e 8GB de RAM, o MacBook Air começa em R$ 10.399 ou US$ 1.199. Inclusive, ele é quase R$ 1.000 ou US$ 100 mais barato que o MacBook de entrada que apesar de ter um processador mais fraco, começa com 256GB de armazenamento interno.

Dúvidas, ideias ou sugestões? Mande uma mensagem para nós.

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, é editor de internet do Jornal da Globo e escreve sobre tecnologia e games.