O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Especial Ubisoft: For Honor, o poder dos heróis épicos

Especial Ubisoft: For Honor, o poder dos heróis épicos
Com visual riquíssimo, heróis épicos e combates viscerais, For Honor é um game difícil, mas viciante. Indicado para fãs de mitologias antigas e players hardcore.

Bárbaros, gladiadores, valquírias e mais outros 15 heróis em campos de batalha históricos. Para quem não conhece For Honor, essa é a premissa do jogo da Ubisoft lançado em 2017 e que, recentemente, chegou a sua temporada 2 (sim, For Honor tem atualizações constantes, chamada de “temporadas”, assim como as séries de televisão). Se você gosta de mitologia e combates frenéticos, está na hora de falarmos sobre For Honor.

3 anos depois e um jogo constantemente atualizado

Uma das maiores frustrações é comprar um jogo multiplayer legal e receber uma ou duas atualizações. Isso não é algo que aconteceu com For Honor. Desde o seu lançamento em fevereiro de 2017, o jogo recebeu constantes atualizações e melhorias. Separadas por temporadas, elas inseriram novos personagens (para se ter uma ideia, For Honor começou com três facções – Cavaleiro, Samurai e Viking – e hoje já são 18 heróis). A última, lançada no último dia 06 de maio, trouxe um novo herói e um novo mapa.

Hitokiri, um guerreiro aterrorizante dos Samurais se juntou ao elenco nesta atualização. Empunhando um enorme machado masakari (uma característica arma samurai e usada por Kintaro, herói do folclore japonês), os Hitokiri são executores fantasmagóricos e cruéis que perambulam pelo campo de batalha amedrontando seus adversários. Disponíveis nas versões feminina (Sakura) e masculina (Yato), os Hitokiri assumem uma condição especial conhecida como Mugen-ryu, que lhes permite realizar movimentos especiais e uma sequência de ataques violentos.

Designer e editor-chefe do Com limão. Como criativo, já atuou com grandes marcas, como Discovery, UOL e VEJA.