O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Begin typing your search above and press return to search. Press Esc to cancel.

Análise: DJI Mavic 2 Zoom, voo profissional

Mavic 2 Zoom está preparado para dar um upgrade nas captações de imagem e trazer uma nova perspectiva para os seus conteúdos.

O mercado de drones é diferente do que estou acostumado com smartphones, tablets, PCs e até TVs. Tem muita gente que adoraria ter um, porque, afinal, quem não gosta de ver tecnologias voando? Há também um público específico de criadores de conteúdo, que faz todo sentido terem um objeto voador desses, e por fim a indústria e suas centenas de aplicações.

Minha primeira experiência com um drone foi com o DJI Tello e eu gostei bastante, apesar da pouca bateria e qualidade de imagem só ok. Com o DJI Mavic 2 Zoom, tudo mudou. Agora, falo de um drone parrudo, cheio de sensores, veloz e que capta imagens que mal tive coragem de fazer.

Passei um bocado de tempo com ele, mas foi só em Mairiporã, na Grande São Paulo, que consegui usá-lo sem cometer um crime de voar perto de aeroportos, pessoas ou prédios. Confira as minhas impressões do produto:

Impressões gerais

O DJI Mavic 2 Zoom é compacto e leve. Pesando um pouco mais de 900 gramas, você pode dobras as hélices para melhor transportá-lo. A bateria fica na parte de cima e é removível. A DJI, para os testes, enviou mais duas, além da que já vem com o drone.

A parte da câmera é a grande diferença entre o Mavic 2 Zoom e o Mavic 2 Pro. No Zoom, é arredondada, enquanto no Pro é mais quadrada, além de ter sido desenvolvida em parceria com a Hasselblad.

O Mavic 2 Zoom tem sensores em todos os cantos: na frente, atrás, na parte superior, inferior e lateral, o que garante mais segurança para o usuário, para as pessoas em volta e também para o seu bolso.

No caso da câmera do Zoom, ele consegue gravar até em 4K a 30 fps e faz fotos em 12 MP. O drone também conta com suporte a cartão microSD de até 128GB com leitura/escrita de até UHS-I Classe 3.

Para controlar o drone, é preciso usar o seu smartphone junto do controle que já vem com ele. Ao prender o iPhone ou celular Android com um cabo USB-C ou Lightning, já com o aplicativo DJI GO 4 aberto, é preciso parear o drone-celular-controle. Felizmente, o app dá um passo a passo que é bem simples de seguir.

Hora do voo

Então, ok. Agora está na hora do voo. O Mavic 2 Zoom pode chegar a 72 km/h, pode voar até 18 km de distância e subir até 6 mil metros. Imagina qual foi a primeira coisa que eu pensei, não é? “Eu vou perder o drone. O que eu faço?”

A minha ideia foi sobrevoar a represa de Mairiporã, afinal, o pior que poderia acontecer seria o drone cair na água e não se estatelar no chão. Spoiler: o drone tá bem.

Para pilotá-lo, é preciso de coordenação motora. Do lado esquerdo você sobe, desce e gira o drone. Do lado direito, move o drone. E quando você está perto de uma árvore e o controle começa a gritar graças aos supersensores, pode ter certeza que essas funções básicas são difíceis de lembrar.

O que eu quero dizer é: há uma curva de aprendizado para usar o drone, seja a sua primeira vez ou se você já venha de outros drones. Ele conta com diversos recursos para tornar essa experiência de imagem ainda melhor. É possível rastrear um objeto, fazer imagens panoramas, hyperlapse, entre outros.

Agora, duas coisas que eu realmente achei ótimas foram: se você tentar ir ao encontro de alguém com o drone, ele para a três metros de distância da pessoa e fica apitando sem parar. Caso você tenha ido longe demais com o drone ou não quer fazê-lo voltar manualmente, é só apertar, no celular, o botão de fazê-lo voltar para casa. É muito bacana.

Abaixo, um vídeo que gravei com algumas imagens feitas com o Mavic 2 Zoom:

Controle remoto e bateria

O controle remoto e o Mavic 2 Zoom precisam ser carregados. Enquanto o controle usa uma porta microUSB, a bateria do Mavic tem um carregador próprio.

Como o controle não tem uma base de tomada que venha de caixa, ele pode demorar bastante para carregar os 3.950 mAh, dependendo do método que você utilizar.

O Mavic 2 Zoom tem uma autonomia de até 31 minutos o que é um tempo muito satisfatório para pilotar o drone por aí. Na pior das hipóteses, basta pousá-lo, trocar a bateria removível e partir para mais gravações. Você também não vai demorar para carregá-lo em casa.

Vale a pena?

Essa é a pergunta mais capciosa da análise, principalmente porque o Mavic 2 Zoom está longe de ser um brinquedo. É um produto para criadores de conteúdo. E por ser um produto com tantas tecnologias, você o encontra no varejo em torno dos R$ 8.000.

Se o seu foco é documentário, YouTube, séries e especiais, você com certeza sabe que esse investimento vale – mas talvez seja melhor comprá-lo em outro país. Já se você é uma pessoa comum que quer muito voar um drone por aí, bem, sempre tem o Tello, não é mesmo?

A verdade é que a DJI trouxe com o Mavic 2 Zoom um produto bem acabado, com uma excelente câmera e vários recursos. E se você quiser ir além, a outra opção é o Mavic 2 Pro.

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, é editor de internet do Jornal da Globo e escreve sobre tecnologia e games.