O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Escreva sua busca acima e pressione enter para buscar. Pressione Esc para cancelar.

5 jogos da E3 2019 que os PC gamers devem ficar de olho

5 jogos da E3 2019 que os PC gamers devem ficar de olho
Confira 5 títulos que mais chamaram a atenção dos jogadores de PC durante a última E3, segundo Felipe Oliveira, gerente de produtos da 2.A.M.

A E3 2019 terminou há pouco mais de duas semanas, mas ainda estou digerindo o que foi a edição deste ano da principal feira de games. Como um amigo resumiu bem, ela foi aquele “último gole do Toddynho” da geração atual, ou seja, trouxe muita coisa boa antes da grande mudança que veremos no mercado (em breve comento mais sobre isso). No texto de hoje, Felipe Oliveira, gerente de produtos da 2.A.M., lista alguns dos títulos que mais chamaram a atenção dos jogadores de PC durante a última E3.

“Há quase quarenta anos no mercado, os PCs seguem como uma das plataformas preferidas de milhões de jogadores em todo o mundo e se destacam pela versatilidade, potência, custo-benefício e variedade de jogos.” afirma, Felipe. Para manter os usuários por dentro das principais novidades que estão por vir para a plataforma, o executivo da 2.A.M. listou cinco títulos que todo gamer deve ficar de olho, seja por seus modos de jogo, temática, evoluções tecnológicas ou conceitos. Confira a lista abaixo:

Rainbow Six Quarantine – R6 sai do PVP sem abrir mão do co-op

Anunciado na conferência da Ubisoft na E3, Rainbow Six Quarantine segue uma linha diferente do famoso game competitivo Rainbow Six Siege. O novo jogo de tiro tático será focado no modo PvE (Player Versus Environment) e colocará três jogadores diante de uma raça parasita alienígena mutante. “Pouco foi mostrado sobre o game, que será lançado no início de 2020, mas um PVE cooperativo com personagens de atributos táticos, combates contra hordas de criaturas malignas e ambientado no universo de Tom Clancy’s Rainbow Six tem tudo para agradar. Deve ser uma ótima opção tanto para veteranos quanto para novatos na franquia da Ubisoft”, conta Felipe.

_____

Watch Dogs: Legion – A união faz a força em novo game sem protagonista

O terceiro e mais ambicioso game da série Watch Dogs agradou muito em sua apresentação na E3. “Watch Dogs: Legion se passa em Londres, após a ascensão de um governo autoritário e em um futuro próximo, mas a grande sacada do game é que não existem protagonistas e nem a chance de reviver personagens. Todos os cidadãos do jogo podem ser recrutados para integrar a DedSec, um grupo hacker de resistência ao governo”, disse Felipe. O game será lançado pela Ubisoft em 6 de março de 2020 e, no PC, suportará a tecnologia DirectX Raytracing em máquinas com NVIDIA GeForce RTX. “Essa nova tecnologia promete um visual incrível por renderizar, iluminar e realçar os gráficos em tempo real durante o jogo”, completou Felipe.

_____

Gears of War 5 – Ainda mais forte no PC

Três anos após o último game da série, Gears 5 será lançado em 10 de setembro, exclusivamente para PC e XBox One. O novo game segue a história original dos títulos anteriores, mas com novidades que prometem mudar a jogabilidade e o desempenho gráfico. “Gears 5 será o primeiro a ter elementos de mundo aberto, escapando da linearidade característica dos outros jogos da série. Além disso, o game foi desenvolvido para chegar a uma taxa de 120 quadros por segundo em 4k nos PCs melhor equipados, o que torna a experiência ainda mais imersiva e empolgante”, analisou Felipe. O jogo contará ainda com novas modalidades multiplayer, o clássico modo Arcade e Horde: Escape, um modo aberto para três jogadores cujo objetivo é implodir uma colmeia alienígena e encontrar a saída.

_____

Genesis Noir – Jazz, arte e cosmos se misturam

Exclusivo para PC, o game Genesis Noir trará uma aventura surreal antes, durante e depois do Big Bang. Mostrado na conferência PC Gaming da E3 desse ano, o jogo é um point and click em que o objetivo é impedir que a grande explosão aconteça e mate uma cantora de jazz por quem o protagonista é apaixonado. “Genesis Noir é um game que precisará ser experimentado para ser totalmente compreendido. De cara, chama a atenção pelos belos planos de cena e uma arte em branco e preto que retrata de cafés noturnos a corpos celestes no espaço. A trilha sonora com jazz também deve ser um dos pontos altos do jogo”. Genesis Noir surgiu a partir de uma campanha na Kickstarter em 2017 e logo conquistou a atenção do público, que viabilizou o projeto. A data de lançamento ainda não foi anunciada pela desenvolvedora Feral Cat Den, mas tudo indica que será 2020. Uma demo já está disponível no Steam.

_____

Dying Light 2 – Espaço e narrativa amadurecem em novo game

Após o sucesso do primeiro game da série, Dying Light 2 manterá o cenário pós-apocalíptico, mas com novas possibilidades de interação e narrativa. Além disso, o mapa do game será quatro vezes maior que o do seu antecessor e terá regiões bastante distintas entre si, inclusive em relação às populações. “O grande desafio de Dying Light 2 será conduzir os interesses das populações hostis e as escolhas dentro do game, que terão consequências diretas não só no decorrer da história, mas no comportamento da cidade. O modo dinâmico de parkour também evoluiu e os inimigos não são mais apenas os zumbis”, disse Felipe. Dying Light 2 se passa 15 anos após os eventos do primeiro game, quando um vírus dizimou a cidade de Haran. No novo game, o jogador terá que lidar com facções rebeldes em busca de poder, podendo se aliar ou declarar guerra a elas. O estúdio Techland confirmou o lançamento do game para 2020, mas ainda não anunciou a data exata.

_____

Gamers amenizam queda do mercado de PCs no primeiro trimestre de 2019

Sobre o mercado de PCs e a sua relação com os gamers, vale destacar uma pesquisa divulgada pela IDC Brasil esta semana. Depois de colocarem o Brasil no posto de terceiro maior mercado de games do mundo, os jogadores brasileiros podem comemorar mais um feito: no primeiro trimestre de 2019, foram suas compras de desktops que amenizaram a queda do mercado de computadores no país. Essa é uma das conclusões do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q1/2019, que contabilizou a venda de 1,268 milhão computadores nos três primeiros meses de 2019, volume que é 5% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. Desse total, 381 mil foram desktops e 887 mil foram notebooks, retração de 4% e de 6%, respectivamente, em comparação ao primeiro trimestre de 2018.

“O desktop personalizado pelo próprio usuário, configurado para rodar seus jogos preferidos, é o caminho mais rápido e econômico de entrar no mundo dos games, e neste começo de ano foi o responsável por um volume importante de máquinas no mercado de consumo”, diz Wellington La Falce, analista de pesquisa da IDC Brasil. Já o setor de notebooks não teve um consumidor doméstico com o mesmo apetite dos gamers, mas no segmento corporativo teve relevância maior e suavizou a queda no resultado total de vendas de PCs. As vendas de notebooks para o usuário doméstico caíram 8% no primeiro trimestre de 2019. “Viemos de dois anos seguidos de alta, com forte crescimento nas vendas de portáteis. É natural, portanto, uma demanda menos agressiva. Além disso, tem a questão preço. Os notebooks ficaram, em média, 14% mais caros, consequência do fim dos incentivos da Lei de Informática e do dólar mais alto”, pondera o analista da IDC Brasil.

La Falce lembra também que, independente da categoria – desktop ou notebook -, nos primeiros meses do ano é comum um volume de vendas menor, pois o consumidor costuma comprar bens de maior valor no Natal e muitas vezes acumula essas dívidas com despesas típicas do início de ano, como IPVA, IPTU, material escolar etc. Ainda assim, o mercado de consumo teve um melhor desempenho do que o mercado corporativo. No primeiro trimestre de 2019, das vendas de 1,268 milhão de computadores, 810 mil foram para o usuário doméstico e 458 mil para as empresas. “A queda do mercado de computadores no setor corporativo foi de 6%, movimento puxado para baixo pelo governo, que retraiu 30% em relação ao primeiro trimestre de 2018. Tivemos não apenas uma troca de governo, mas uma mudança radical de gestão e o período de avaliação antes de novos investimentos já era esperado”, afirma La Falce.

Além das vendas mais fracas para o setor público, o mercado de computadores no primeiro trimestre de 2019 foi impactado também pelo freio no ímpeto do empresariado. “O novo governo começou, mas não com a rapidez esperada para a retomada da economia. O governo está claramente preocupado com as contas públicas e com a Reforma da Previdência, mas hoje o mercado está estagnado. E estagnação também gera instabilidade e insegurança para investimentos”, analisa La Falce. “Em cenários estáveis o mercado de computadores cresce. Foi assim em 2017, por exemplo, quando o mercado cresceu 15%”, lembra.

Designer e editor-chefe do Com limão. Como criativo, já atuou com grandes marcas, como Discovery, UOL e VEJA.