O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Escreva sua busca acima e pressione enter para buscar. Pressione Esc para cancelar.

Comparativo: MacBook Air x MacBook Pro, qual escolher em 2019?

Qual opção de MacBook é ideal para você? Veja as diferenças na linha de 2019 da Apple.

Ea semana passada, a Apple atualizou o portfólio de MacBook. Tirando de linha o modelo de 12 polegadas, ela trouxe a tecnologia True Tone para o Air e uma atualização no processador, além da Touch Bar e Touch ID, para o modelo de entrada do MacBook Pro. Com uma linha mais enxuta, ficou muito mais simples para o usuário escolher o seu computador ideal.

Na hora de comprar um novo Mac, a primeira pergunta a se fazer é: preciso dele para um uso profissional? Se a resposta for negativa, já pode parar por aí e escolher o MacBook Air. Se a resposta for positiva, a segunda questão é: quão Pro precisa ser o MacBook? E para essa pergunta existem três opções.

MacBook Air: leveza à segunda vista

Apresentado no ano passado com design renovado, a segunda geração do novo MacBook Air é apenas uma pequena atualização, com um preço mais em conta e agora com tecnologia True Tone, que adequa o display dependendo do ambiente.

Com uma tela Retina de 13,3 polegadas, o MacBook Air segue com o mesmo processador de dois núcleos Intel Core i5 de oitava geração.

Com a possibilidade de até 1TB de armazenamento interno, 16GB de memória RAM e placa gráfica Intel UHD Graphics 617, o modelo de entrada vem com 128GB de memória e 8GB de RAM. A bateria dele dura até 12 horas e o Mac conta com Touch ID para desbloqueio e pagamento.

O teclado, com excessão do leitor de impressão digital, segue o padrão com as teclas F1 e com a nova geração do mecanismo borboleta, o que deve evitar problemas como mal-funcionamento e duplo clique com qualquer sujeirinha.

O MacBook Air conta com alto-falantes estéreo, duas portas Thunderbolt 3 (USB-C) e uma entrada P2 para fone de ouvido. Este é o único Mac com três opções de cor: Prateado, Cinza-espacial e Dourado.

Este modelo, como disse acima, é ideal para tarefas do dia a dia. Estudantes e pessoas que lidam com edições simples devem ser bem atendidas com esse notebook. O MacBook Air começa em R$ 9.699 (US$ 1.099).

MacBook Pro: ainda mais profissional

Atualmente, existem três divisões na linha de MacBook Pro. Apesar de todos contarem com a Touch Bar e Touch ID, o modelo de entrada de 13,3 polegadas conta com apenas duas portas Thunderbolt 3 e especificações internas abaixo dos modelos com quatro portas Thunderbolt 3. O modelo de 15 polegadas é o que vai além, com especificações bem mais parrudas.

MacBook Pro de 13,3 polegadas e duas portas Thunderbolt 3

Com um processador de quatro núcleos de 1.4GHz Intel Core i5 de oitava geração, 8GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, esse modelo de entrada é pelo menos duas vezes mais veloz que a versão anterior.

Ele pode ser configurado com até 16GB de RAM, processador de 1.7GHz Intel Core i7 e 2TB de armazenamento interno. A placa gráfica é a Intel Iris Plus Graphics 645.

Com alto-falante estéreo com high dynamic range, este MacBook Pro conta com duas portas Thunderbolt 3 e entrada P2 para fone de ouvido. Ele tem uma autonomia de 10 horas de playback de vídeos no iTunes ou navegação na web.

Disponível em Cinza-espacial e Prateado, este modelo é o mais em conta para quem quer um bom ganho em velocidade e ao mesmo tempo quer aproveitar todas as funções da Touch Bar. O preço de entrada dele é R$ 11.999 (US$ 1.299).

MacBook Pro de 13,3 polegadas e quatro portas Thunderbolt 3

À primeira olhada, a diferença desse modelo para o recém-descrito são as duas portas extras. Apesar de também contar com especificações internas parecidas com a do modelo de entrada, ou seja, o processador continua sendo um i5 ou i7 de oitava geração, o clock dele é mais potente com 2.4GHz no i5 e 2.8Ghz no i7 com Turbo Boost de até 4.7GHz. A placa gráfica também é uma mais recente: Intel Iris Plus Graphics 655.

Em outras palavras, isso significa que se um vídeo demora 5 minutos para exportar no modelo de entrada, nesse vai demorar uns 3 minutos e meio. Dependendo de quão longo é o vídeo ou quão boa é a qualidade dele, pensa no tempo que você acaba economizando.

Este Mac começa com 256GB de armazenamento interno, também vai até 2TB e 16GB de RAM. Tem 10 horas de autonomia de bateria, conta com alto-falantes com high dynamic range, entrada para fone P2 e é um alívio para quem conecta vários acessórios ao mesmo tempo, já que ele tem duas portas Thunderbolt 3 em cada lado. Disponível em Cinza-espacial e Prateado, o preço de entrada é R$ 16.199 (US$ 1.799).

MacBook Pro de 15,4 polegadas com quatro portas Thunderbolt 3

O Mac de 15 polegadas começa com um processador de seis núcleos de 2.6GHz Intel Core i7 de nona geração, 16GB de RAM e 256GB de armazenamento interno, mas ele pode ter um processador de oito núcleos i9 de nona geração, 32GB de RAM e até 4TB de armazenamento interno. A placa gráfica dele é uma Radeon Pro 555X com 4GB de memória, mas também há opção da placa 560X. Se quiser ir além, é possível escolher a placa Radeon Pro Vega 16 ou Pro Vega 20.

Para este MacBook, a Apple traz a experiência mais potente em notebook. Numa escala de “Pro”, esse é o computador que grita “Pro, Pro, Pro, Pro”. Ele também conta com Touch Bar, quatro portas Thunderbolt 3, alto-falantes com high dynamic range e até 10 horas de navegação na web.

Disponível em Cinza-espacial e Prateado, o preço dele também salta em comparação aos outros Macs: a partir de R$ 21.399 (US$ 2.399). Com a redução nos preços dos SSDs pela Apple, para maximizar esse Mac, o usuário gasta até R$ 43.399 (US$ 5.149). Até semana passada, o usuário gastaria R$ 54.599.

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, é editor de internet do Jornal da Globo e escreve sobre tecnologia e games.