O Nova Post tem como objetivo trazer um jornalismo de qualidade a partir das coberturas e análises nas áreas de tecnologia cotidiana (smartphones, televisores, etc.), games (jogos para computador, videogames, mobile e e-sports, englobando também o universo feminino) e internet das coisas.
d

The Point Newsletter

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error.

Follow Point

Escreva sua busca acima e pressione enter para buscar. Pressione Esc para cancelar.

Vale a pena ter o TIDAL? O rival turbinado dos serviços de streaming

Nova Post testou o aplicativo por seis meses para saber se realmente vale a pena assinar o plano no Tidal.

O TIDAL, streaming de música do rapper Jay-Z, traz reprodução de áudio em alta qualidade, além de diferenciais de concorrentes como Spotify e Deezer, como reprodução de vídeos – como clipes, shows exclusivos de artistas e a ficha técnica de músicas. Os preços variam de R$ 16,90 até R$ 33,80. O Nova Post usou o serviço do TIDAL nos últimos seis meses e você confere nossa análise agora.

Qualidade de áudio

O que difere o TIDAL dos outros concorrentes como Spotify e Deezer é a qualidade de áudio, que é LossLess. Isso quer dizer que a qualidade do som consegue ser mantida mesmo após a compreensão do áudio. Dessa forma, a qualidade do som pode chegar a 1411 kbps. Já o Spotify e Deezer ficam restrito aos 320 kbps.

Em nossos testes com o fone AKG Y500, a qualidade sonora é muito melhor comparado ao Spotify e Deezer. É possível identificar detalhes musicais pequenos que em outros serviços de streaming de música não é possível.

O TIDAL oferece alguns planos de assinatura. O mais barato é o TIDAL Premium que custa R$ 16,90, que traz qualidade de som padrão, além do acesso à vídeos de músicas em alta definição e editorial selecionado.

O segundo é o HiFi que custa R$ 33,80 e nele o consumidor tem qualidade de som sem perdas de alta fidelidade, além dos vídeos e editorial especial. A empresa oferece também o plano família para o Premium (R$ 25,35) e HiFi (R$ 50,80), podendo incluir até 5 familiares. A empresa ainda tem uma opção mais barata para quem é estudante, o Student Premium (R$ 8,45) e o Student HiFi (R$ 16,90).

Experiência

Uma das coisas que mais me chamou atenção no TIDAL é a experiência oferecida para os clientes. Isso quer dizer que eles sempre fazem alguma ação interessante para um artista que provavelmente você escuta. No meu caso, eu escutei e favoritei o Edi Rock (Racionais Mc’s) como um dos artistas que gosto. Pelo próprio aplicativo, recebi uma notificação sendo convidado para uma Premier TIDAL e acompanhar a pré-estreia do clipe “Corre Neguin”, mais acompanhar uma entrevista com o artista. Me inscrevi facilmente e no dia a experiência foi muito legal.

Ao chegar no Brasil, o TIDAL junto com a Vivo realizou um show exclusivo da Nicki Minaj e os fãs puderam acompanhar um show que foi realizado apenas para convidados. Desde que iniciei o uso do aplicativo, com base no que escuto, sempre surge convite. Isso foi uma das coisas que mais achei legal, a experiência do aplicativo de você escutar música com a experiência física de ir à um show ou premier, é um diferencial em relação aos outros serviços de streaming.

Aplicativo

Quem é acostumado com Deezer e Spotify, não vai sentir muita diferença, pois são semelhantes. O que mais gostei ao usar o TIDAL foi que é a interface é repleta de imagens em alta qualidade que o tornam mais atraente. É possível acessar o sistema de streaming tanto por sua versão web quanto por aplicativos feitos para Android e iOS.

Óbviamente o aplicativo tem mais destaques para os artistas exclusivos do seu portfólio. O TIDAL possui filtros de gêneros musicais, playlist temáticas variadas e uma área dedicada a vídeos. O catálogo de artista é bem amplo e, com certeza, você encontrará o seu artista favorito. Já a navegação no aplicativo é muito boa e bem semelhante aos outros serviços de streaming.

Vale a pena?

Usar o TIDAL vale muito a pena. Principalmente porque ele traz experiências aos usuários com shows exclusivos, premier e shows de artistas que você gosta. Esse foi um diferencial importante ao usar por seis meses o aplicativo. Trazer a experiência do virtual de escutar um artista para o show presencialmente.

O portfólio é muito amplo de artistas e não teve algum que escutava antes em outras plataformas de streaming e no TIDAL não tinha. Se você é um apreciador de música e gosta de ouvir em uma excelente qualidade, vale a pena usar o TIDAL, principalmente no plano HiFi. Se você quer testar outros aplicativos, indico considerar o TIDAL porque a experiência foi muito boa. Usei Deezer e Spotify por seis meses e, sem dúvida, o Tidal trouxe diferenciais que os outros apps não.

O único ponto que peca é no plano HiFi que indicaria apenas se você é um grande apreciador de música porque ele traz excelentes detalhes sonoros. Claro, é preciso ter um bom fone de ouvido de qualidade, se não será imperceptível. O preço (R$ 33,80) é um pouco mais alto, porém a experiência será melhor. Agora se você quer escutar música no dia dia e não se preocupa com qualidade de som sem perdas de alta fidelidade, o Premium supre e custa apenas R$ 16,90, o mesmo preço de Deezer e Spotify.

Jornalista formado pela Universidade Mogi das Cruzes, trabalha há 8 anos no mercado de tecnologia. Atualmente é PR no Grupo ZAP.