Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

Nova Post
twitter-fake-news-brasil-nova-post

Tecnologia

Twitter lança opção para denunciar tweets com fake news no Brasil

Rede social emitiu um comunicado nesta segunda (17) e explicou que a funcionalidade ainda está em testes; saiba como funciona.

Lançada inicialmente nos EUA, Coreia do Sul e Austrália, em agosto de 2021, a opção para denunciar tweets que contenham informações falsas, fake news, chega nesta segunda-feira (17) ao Brasil.

A novidade, que vem a menos de um ano do primeiro turno das eleições presidenciais, também tem sido considerada uma resposta a pressões recentes sofridas pela rede social.

Em 5 de janeiro, a hashtag  ‘#TwitterApoiaFakeNews’ figurou entre as mais discutidas no site, que acusavam o Twitter no Brasil de não dispor de uma ferramenta específica para denunciar a desinformação contra a Covid-19. Um dia depois, o Ministério Público Federal, MPF, cobrou explicações da big tech sobre o caso.

‘Denunciar Tweet: As informações são enganosas’

É possível denunciar tweets enganosos nas opções adicionais de qualquer postagem (Imagem: Nova Post)

Até então, o Twitter até dispunha de uma ferramenta para denunciar postagens na rede social. Contudo, só era possível reportar casos de spam, abuso, nocividade ou, ainda, quando o usuário em questão manifestava intenções de automutilação ou suicídio.

Agora, ao visualizar um tweet que contenha fake news, independentemente do tema, basta clicar nas opções do Tweet, selecionar “Denunciar” e, em seguida, clicar na opção “As informações são falsas”. A tela seguinte ainda dispõe de opções para indicar se o conteúdo falso está relacionado à política, à saúde ou outro tema.

Logo abaixo da caixa de denúncia, o Twitter também deixa claro que a denúncia, por si só, não remove a postagem automaticamente de circulação.

Muito embora a rede social não tenha dado detalhes sobre a análise a ser feita nas denúncias, é de se esperar que a sinalização encaminhe o tweet a um setor especializado para tal, como já ocorre no Facebook.

Adicionalmente, o Twitter também explica que, entre outras medidas contidas em suas políticas de uso, poderá limitar o alcance do Tweet, determinar uma contextualização adicional do conteúdo (como o aviso de informação falsa), bem como os padrões de denúncia poderão auxiliar a elaboração de outras políticas de segurança.

No anúncio feito na conta oficial @Twitter Safety, a plataforma também revelou que a função chegou às Filipinas e à Espanha, além do Brasil.

Novidade chega após pressão do Ministério Público e usuários

Ao lançar a funcionalidade com exclusividade para alguns países, em agosto de 2021, o Twitter explicou que a denunciação por fake news começaria em testes, com a intenção de oferecer o recurso, definitiva e globalmente, em algum momento.

Apesar disso, chamou atenção o fato da rede social tornar a função disponível por aqui dias depois de um ‘tweetaço’ dos usuários brasileiros, ocorrido em 05 de janeiro, em que criticavam a empresa por não dispor de um canal específico contra fake news relacionadas à Covid-19.

Poucas horas depois, o Ministério Público Federal emitiu um ofício endereçado à companhia no Brasil, questionando explicações sobre a indisponibilidade da ferramenta no Twitter brasileiro. Conforme aponta o Poder360, o pedido do MPF ocorreu dentro de um inquérito dedicado a apurar a atuação das redes sociais no combate às notícias falsas.

O órgão também teria pedido explicações sobre os critérios utilizados para conferir o selo de verificação em perfis que provocam desinformação.

Denúncia será complementar à análise já feita por robôs

No comunicado em seu blog, o Twitter ressaltou que a possibilidade de denunciar tweets com fake news, tal como noutras razões de denúncia, é complementar à segurança já realizada por bots. Hoje, segundo a plataforma, eles já são responsáveis por identificar mais de 50% dos conteúdos que violam as regras da rede social.

A maioria das sinalizações envolve publicações enganosas sobre a Covid-19, integridade cívica (desinformação contra eleições ou a cidadania) e mídia sintética e manipulada (imagens, vídeos e outros conteúdos tirados de contexto ou adulterados de forma prejudicial).

Na mesma página, a plataforma cita que, desde que começou a testar a função, já recebeu 3,73 milhões de denúncias sobre 1,95 milhão de tweets, publicados por 64 mil contas distintas. E falou que tem tratado as sinalizações tanto para remover os conteúdos, a partir da revisão humana, quanto para “identificar tendências” de desinformação e, assim, treinar seus sistemas automatizados.

Enquanto testa e modifica a ferramenta para denunciar tweets enganosos, o Twitter ressalta que poderá não tomar medidas contra todas as denúncias, tampouco responder a cada uma delas.

Acerca do que a rede social já pôde observar desde o lançamento em agosto, foi dito que as denúncias, apesar de úteis em indicar violações às regras da plataforma, menos de 10% das sinalizações culminaram em algum tipo de sanção, já que a maioria não correspondia a violações da política do Twitter, nas palavras da empresa.

Ao final, também foi constatado que, nos países onde a opção já estava disponível, notou-se uma preferência dos usuários em denunciar os tweets, em vez de interagir com a desinformação por meio de um retweet ou uma resposta.

O Twitter alega que continuará ampliando a disponibilidade da ferramenta globalmente, mas o fato de 2022 ser o ano de eleições tanto no Brasil quanto nas Filipinas, dois dos três países a figurarem nesta segunda leva, também pode estar por trás do porquê de estarmos entre os primeiros a recebê-la.

Relacionado:

Leia também:

Apple

Com a chegada da Apple Intelligence, a Apple também quer que seus alunos da Developer Academy aprendam mais sobre Inteligência Artificial.