Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

Nova Post
Exynos 2200, imagem de capa

Tecnologia

Exynos 2200: Samsung anuncia chip que deve equipar a linha Galaxy S22

Com gráficos da AMD, Exynos 2200 cumpre a promessa de ser o primeiro a levar ray tracing para os jogos de smartphone; confira mais novidades.

Quando a Samsung anunciou que lançaria o Exynos 2200 com gráficos da AMD, as expectativas foram altas. Contudo, no último 11 de janeiro, data marcada para a revelação do chip, a coreana adiou o evento, fazendo muitos acreditarem que havia algo de errado.

Seja lá o que tenha dado problema, não parece ter sido grande coisa, já que, nesta terça-feira (18), a fabricante finalmente anunciou o processador que equipará a família Galaxy S22 em boa parte do mundo.

Com litografia de 4 nanômetros e gráficos baseados na arquitetura RDNA 2, da AMD, o Exynos 2200 é real e promete muito sobre seu desempenho em games.

E não é para menos, o design sobre o qual foi feita a unidade de processamento gráfico (GPU) do novo processador herda bastante da arquitetura da AMD, que hoje equipa o PlayStation 5, o Xbox One X e a série Radeon RX 6000, de placas de vídeo da marca. No caso do Exynos 2200, a Samsung batizou a GPU de Xclipse 920.

É isso mesmo, ray tracing pela primeira vez em smartphones

Graças à RDNA 2, a mesma microarquitetura da AMD utilizada em consoles e PCs, o chip da Samsung promete ser o primeiro a trazer alguns recursos dessas plataformas aos gráficos de smartphones, como o ray tracing e o VRS, ou “sombreamento variável”, na tradução da sigla para o português.

Capaz de afetar dramaticamente a dinâmica de luz e sombra nos gráficos dos consoles, o ray tracing acelerado por hardware é um dos principais atrativos do Exynos 2200. Isso porque, na prática, o que a tecnologia faz é calcular, em tempo real, a trajetória de múltiplos raios de luz, e seus reflexos, entre os objetos e cenários de um conteúdo gráfico.

Ou seja, é possível afirmar que o ray tracing simula o comportamento da luz de forma bastante similar ao que acontece com os fótons, na realidade. No fim das contas, isso permite empregá-lo para melhorar consideravelmente a representação de sombras, reflexos e a iluminação geral de uma cena.

Não por acaso, a tecnologia foi considerada um dos maiores avanços da nova geração de consoles e, segundo o que afirmou a Samsung, não será diferente nos smartphones.

Muito embora o rastreamento de luz não seja uma técnica nova na computação gráfica, fazê-lo em tempo real, como é o caso do ray tracing de consoles, computadores e – a partir de agora – smartphones, exige um enorme poder de processamento.

Por essa razão, há quem diga que a aceleração feita por hardware que é o fato inédito, já que é isso que torna o ray tracing, como o conhecemos hoje, viável.

No entanto, sem querer cortar as expectativas de todo mundo, vale lembrar que o termo ‘Ray Tracing’ designa uma técnica, ou seja, ainda que seja um feito tecnológico integrar esse recurso num smartphone, ninguém está prometendo que o resultado final será comparável ao de um jogo para PC ou console.

Assim como em outras tecnologias de processamento gráfico, tudo depende de como o ray tracing é empregado, o que varia conforme a plataforma e até o conteúdo em questão. Em suma: a tecnologia está lá, mas o que isso significa, na prática, ainda há de ser visto – literalmente.

Variable Rate Shading (VRS) é outra adição ao Exynos 2200

Além do ray tracing, outra funcionalidade destacada no anúncio do Exynos 2200 foi o sombreamento variável (VRS), ou Variable Rate Shading. Tal como no primeiro, a sigla designa uma tecnologia antes exclusiva dos jogos de PC e console, mas que se incumbe de otimizar a renderização de objetos.

Ao diminuir os detalhes de objetos que se encontram distantes no cenário, o VRS alivia o stress sobre a GPU e permite dedicar processamento para elementos mais próximos, nos quais a nitidez extra será mais perceptível. No caso desse recurso, entretanto, o Exynos 2200 não é estreante, já que o Snapdragon 888, lançado em 2020, já equipava uma função similar.

A partir dessas e outras funcionalidades presentes na GPU Xclipse 920, a Samsung afirma que o novo processador, tal como um eclipse, deverá por fim a uma velha era dos jogos mobile, iniciando um novo capítulo no segmento.

É sério, eles usaram essas palavras.

Mas o novo chip da Samsung não é apenas sobre os gráficos, entenda as demais novidades

Exynos 2200 imagem promocional
Exynos 2200 (Imagem: Samsung)

Piadinhas à parte, o Exynos 2200 é muito mais que um rostinho bonito, e tem muito mais que visuais a mostrar. Isso porque o novo chip tem litografia de 4nm e é baseado na nona arquitetura de chips ARM (Armv9), fazendo dele uma evolução considerável em relação à CPU atual, que equipa a linha Galaxy S21 no Brasil.

Inclusive, em termos de processo de fabricação, o novo SoC (System on a Chip) da Samsung utiliza a mesma técnica presente no Snapdragon 8 Gen 1, uma vez que o processador topo de linha da Qualcomm também é fabricado pela Samsung Foundry.

Debaixo do capô, o Exynos 2200 conta com oito núcleos de processamento, sendo quatro Cortex-A510 voltados para tarefas pouco demadantes, três Cortex-A710 voltados para desempenho e eficiência, e um Cortex-X2, o núcleo mais poderoso de todos, a ser utilizado em rotinas que demandem muito do processador.

No restante dos componentes que compõem a GPU, o novo chip da Samsung promete um processamento duas vezes mais rápido para tarefas de inteligência artificial (IA), além de um novo modem 5G que suporta tanto as frequências sub-6 (abaixo dos 6GHz) e as ondas milimétricas (mmWave). Em testes, o componente pode atingir velocidades de até 10 Gb/s, segundo a fabricante.

No que tange ao processamento de imagem, o Exynos 2200 ainda integra um novo ISP (Image Signal Processor), capaz de suportar câmeras de até 200 megapixels. Durante as capturas, o componente pode registrar até 108 megapixels, a 30fps, quando utilizada uma única câmera, ou, ainda, 64 + 36 megapixels, quando utilizadas duas câmeras.

Adicionalmente, a Samsung ainda afirmou que o ISP do novo processador é capaz de se conectar a até sete sensores de câmera, podendo controlar quatro deles simultaneamente. Para as gravações de vídeo, o Exynos 2200 suportará registros em 8K e 4K HDR.

Exynos 2200 deve estrear no Galaxy S22

Galaxy S22
Galaxy S22 (imagem vazada) deve ser o primeiro a contar com novo processador (Imagem: reprodução)

Por fim, o novo processador já está em produção e deve estrear na nova linha Galaxy S22, cuja data de lançamento está sendo especulada para 9 de fevereiro.

No Brasil, a tradição é de que os modelos da linha sejam equipados com o processador da Samsung, que, no caso, seria o Exynos 2200. Contudo, considerando a nova realidade da crise dos chips e alguns vazamentos em sentido contrário a essa tradição, há margem para acreditar que o modelo nacional seja equipado com o processador da Qualcomm.

Mas será mesmo que essa seria a melhor opção nesta geração? Confesso que estou bem ansioso para ver como esse novo SoC da Samsung se sai na briga.

Leia também:

Apple

The Miseducation of Lauryn Hill é considerado o maior álbum de todos os tempos pelos curadores do Apple Music. Confira o top 10.

Apple

Os novos iPads da Apple começam a partir de R$ 6.999. Confira as novidades do iPad Pro M4, iPad Air M2 e dos acessórios...