Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

Nova Post

Análise

Apple Watch Series 6 ajuda a ter foco e vida mais saudável

Apple Watch Series 6 é o melhor relógio inteligente do momento e o watchOS 8 promete deixá-lo ainda mais útil para os usuários.

Já faz cinco anos desde a primeira vez que coloquei um Apple Watch no pulso. À época, o Apple Watch Series 3 foi o primeiro relógio que realmente decidi usar.

Com um processador duas vezes mais rápido que a geração anterior e sensores que monitoravam minha saúde e batimentos cardíacos, foi aos poucos que a evolução do relógio inteligente da Apple foi me pegando e se tornando cada vez mais essencial para o meu dia a dia.

Primeiro foi a habilidade de usar o relógio sem o iPhone por perto com o modelo com 4G do Series 3, depois, um redesign com tela maior, adição da Detecção de Queda e ECG com o Apple Watch Series 4 foi mais do que bem-vindo.

O Apple Watch Series 5, por sua vez, deixou o produto com mais cara de relógio graças a tela sempre ligada e agora, com o Apple Watch Series 6, além de trazer um monitoramento de oxigênio no sangue, a segunda geração da tela sempre ligada traz mais brilho e facilita as espiadas na tela na hora que chega alguma notificação ou para checar as minhas metas de exercício durante uma corrida.

Diferente dos outros relógios, o Apple Watch Series 6 me ganha não só por ser o mais novo, mas porque foi o modelo que me ajudou a ter uma vida mais saudável. Ao longo do último ano, tenho usado com muito mais afinco o relógio, uma vez que tenho focado nos círculos de atividade, desafios mensais e atividades diárias.

O que mudou com o Apple Watch Series 6?

Pela primeira vez desde que comecei a usar um Apple Watch, foi com o Series 6 que pude testar o modelo com finalização em aço inoxidável. Além de trazer um acabamento mais premium na versão grafite, a tela é mais resistente já que é feita de cristais de safira.

Na prática, ao comparar o Apple Watch Series 5 com o Series 6, o modelo anterior que testei acabou riscando tanto na lateral quanto na tela, enquanto o Apple Watch Series 6, mesmo com um uso mais intenso, parece que foi tirado da caixa ontem.

A tela mais brilhante ajuda bastante durante os exercícios já que é mais fácil de saber as calorias gastas, quanto falta para completar o próximo quilômetro, etc.

Diferenças entre o Series 3 em alumínio e o Series 6 em aço inoxidável

O Apple Watch Series 6 também traz pela primeira vez sensor de oxigênio no sangue e sensor cardíaco elétrico, além do sensor cardíaco óptico de terceira geração, o novo chip S6, que é ainda mais rápido que a versão anterior e os sensores já conhecidos, como GPS, bússola, altímetro sempre ativo, microfone e alto-falante de segunda geração.

Outra novidade do Series 6 é o chip U1 de banda ultralarga que permite que o relógio entenda melhor a posição dele em relação a outros dispositivos e até a possibilidade de desbloquear portas de carro ou de casa desde que sejam compatíveis com os padrões da Apple.

E, claro, o pareamento facilitado entre o iPhone, AirPods e outros dispositivos da empresa fazem com que o uso do Apple Watch Series 6 seja completamente integrado ao ecossistema da maçã e fácil de usar.

Rotina de exercícios, app Fitness e desafios

Começar a se exercitar não é fácil e mais difícil ainda é se manter fazendo exercício ao longo do tempo. Próximo de completar um ano desde que me comprometi a ter uma vida mais saudável, é incrível ver o quanto não só o meu corpo mudou como também as minhas tendências de exercício também.

Em setembro de 2020, comecei a caminhar em torno de 5 km por dia. Aos poucos, comecei a adicionar 1 km de corrida dentro desses 5 km, depois 2 km. Alguns meses depois, decidi tentar correr todos esses 5 km. Passado um tempo, coloquei mais 1 km para fazer, inclui ladeiras, passei a alternar entre correr e caminhar e até atividades mais longas aos finais de semana.

Desde então, ao entrar no aplicativo Fitness, vejo a minha tendência de exercícios só aumentar.

As calorias gastas estão em torno de 898 por dia, em torno de uma hora de exercício, 13h ao ficar de pé, distância de 8,8 km, 9 minutos por hora em pé, ritmo de caminhada de 7’28” e o que mais achei interessante: preparo cardiovascular de 50.

Para mim, essa tem sido a medida mais desafiadora, já que ela avalia o máximo de oxigênio que meu corpo consome durante um exercício. Quando comecei, ela estava em 35,8, abaixo da média e agora está 50,1, acima da média pelos últimos 17 dias.

A única tendência que não está marcada é a de corrida, uma vez que prefiro colocar corridas dentro da caminhada em vez de caminhadas dentro dos exercícios de corrida. E como eles exigem mais, prefiro não forçar tanto o corpo.

Por fim, as metas de ficar de pé, me exercitar e gastar caloria, não só ajudam a ter um parâmetro, mas também de me mexer mesmo quando está frio demais ou chovendo. Nesse último ano, além das caminhadas e corridas, ioga e dança viraram alguns dos exercícios que também me ajudam a ter uma vida saudável.

O Apple Watch também é divertido de usar ao competir com amigos e até ao completar os desafios mensais, mesmo que eles incluam queimar 22.600 calorias em 30 dias.

Atualizações do watchOS e o que vem pela frente

A Apple está prestes a lançar a segunda grande atualização do watchOS desde que começou a pandemia com o watchOS 8. Antes dele chegar, no entanto, a empresa trouxe já várias funções para esses tempos de crise.

Entre as novidades, a possibilidade de desbloquear o iPhone com o relógio por perto, caso ele detecte uma máscara, e também de avisar o usuário a lavar a mão por 20 segundos.

Com o watchOS 8, que chega mês que vem para todos os usuários, a Apple traz novos aplicativos de Buscar focado em dispositivos, pessoas e itens (como AirTags), uma atualização do app Respirar que agora se chama “Mindfulness”, além de outras novidades como:

  • Taxa respiratória agora é medida no aplicativo de sono;
  • Novo mostrador com fotos em Modo Retrato;
  • Compartilhar músicas do Apple Music pelo Messages no Apple Watch;
  • Novo aplicativo de Tempo;
  • Novos exercícios como Taekwondo;
  • Com os AirPods, relógio avisa toda vez que você completa um quilômetro ou outras metas durante um exercício.

Conheça mais sobre o watchOS 8 aqui.

Conclusão

Quando escrevi a análise do Apple Watch Series 6 no ano passado, já havia dito que ele era o melhor smartwatch do momento, como o seu antecessor e o que veio antes dele também.

A Apple se encontra em uma posição privilegiada ao integrar os seus produtos em um mesmo ecossistema. Para o próximo relógio, no entanto, espero que bateria seja melhorada, já que ao fazer atividades longas sem o celular por perto e contar com streaming de podcasts ou músicas, o relógio gasta muita bateria e mal passa de um dia inteiro de uso antes que precise ir para tomada.

E se a empresa também espera que os usuários durmam com o relógio, mesmo que ele conte com um carregamento rápido, o ideal seria que a bateria dele durasse mais, como os modelos anteriores duravam.

De resto, o Apple Watch Series 6 entrega tudo o que o usuário precisa, conta com diferentes cores e ainda há dezenas de opções de pulseiras para escolher. Saiba mais sobre o relógio aqui.

Leia também:

Apple

Disponível ainda este ano no Brasil, Apple Fitness+ é o serviço da Maçã para donos de Apple Watch que querem uma vida mais saudável.

Apple

Em sua maior atualização, o novo iPad mini promete ser a escolha mais poderosa para quem quer um tablet compacto e com tecnologias de...

Apple

Apresentado no evento "Da Califórnia Para o Mundo", o novo iPad de entrada está mais potente do que nunca e com novidades "pro".

Apple

Mais Pro do que nunca, a nova linha do iPhone 13 Pro traz grandes melhorias com o que há de melhor em tela, câmera...